Rótulos dos alimentos

Ler os rótulos dos alimentos é uma ajuda valiosa para saber escolher bem os produtos que compra. A sua leitura e interpretação é imprescindível para o bom funcionamento da dieta.Rótulos dos alimentos

Com quase toda a certeza que não vai encontrar nas prateleiras de qualquer supermercado um único produto com a proporção correta de proteínas e hidratos de carbono como requer a dieta da Zona. Como isso não é possível, o segredo passa por misturar e combinar alimentos até conseguir a proporção correta. Sendo assim, deve em primeiro lugar aprender a converter em blocos, o conteúdo de proteínas, hidratos de carbono e gordura contidas nos rótulos dos alimentos que compra.

A quantidade de hidratos de carbono em relação à quantidade de proteínas

Quando escolher um produto no supermercado o primeiro que deve fazer é ler a quantidade de hidratos de carbono em relação à das proteínas. Normalmente o teor de hidratos de carbono é muitíssimo mais elevado do que o teor de proteínas, o que será contra prudente, porque esse excesso de hidratos de carbono em relação com o conteúdo baixíssimo de proteínas é um obstáculo para alcançar o equilíbrio hormonal tão requerido na dieta da Zona.

Convém recordar que todo o foco da dieta da Zona é manter o equilíbrio entre os hidratos de carbono e as proteínas em cada refeição, já que esta, é a única maneira de manter os níveis de açúcar no sangue estáveis, impedindo assim, a subida da insulina, que aumentaria a vontade de comer e o consequente aumento de peso.

Saber quantos blocos de proteína e hidratos de carbono tem um alimento

Para saber quantos blocos de proteína existe num determinado produto devemos dividir por 7 g ( 7 g é o valor de 1 bloco de proteína) o valor em gramas de proteínas que indica no rótulo.

Procedemos da mesma maneira para saber quantos blocos de hidratos de carbono possui esse mesmo produto, mas desta vez dividi-se por 9 g (9 g é o valor de 1 bloco de hidratos de carbono) o valor em gramas de hidratos de carbono que indica no rótulo, o resultado é o número de blocos.

Mas para melhor compreensão passemos à prática com um exemplo, e vamos analisar o valor nutritivo de um pacote de cereais do pequeno almoço. Tomemos a titulo de exemplo uma porção de de 100 g de cereais, que é a quantidade que normalmente enche uma tigela do pequeno almoço.

Informação nutricional por 100 g
Valor energético KJ / Kcal 1608/379
Hidratos de carbono: 79,1 g
Proteínas: 7,3 g
Lípidos:3,8 g
sódio:0,2 g
Fibra alimentar:5,1 g

Como saber quantos blocos de proteínas e de hidratos de carbono estamos a ingerir?

Como podemos observar no rótulo acima, 100 g de cereais contêm 79,1 de hidratos de carbono. Para transformar esta quantidade em blocos divide-se 79,1 g por 9 g (lembre-se que 9 g é o valor de 1 bloco de hidratos de carbono) e obtém-se como resultado 8.78 blocos. Ficamos assim a saber que 79,1 g contém quase 9 blocos, isto representa muitos blocos de hidratos de carbono para uma só refeição. Na Dieta da Zona o pequeno-almoço dever conter apenas 3 blocos (mulher) e 4 blocos (homem).

Agora vamos calcular as proteínas, vemos que 100 g de cereais contem a pequena quantidade de 7,3 g de proteína, o equivalente a 1 bloco de proteínas, pois ao dividir 7,3 g por 7 g ( 7 g é o valor de 1 bloco de proteínas) obtém-se 1,042 blocos, esta quantidade representa praticamente 1 bloco, não chegando a alcançar os 3 ou 4 blocos de proteínas que é o que requer a dieta da Zona para as refeiçoes principais, incluindo o pequeno almoço.

Conclusão: temos um conteúdo de proteínas muito baixo e um conteúdo altíssimo de hidratos de carbono – um verdadeiro desequilíbrio hormonal -, que o encaminhará, dia após dia, para o ganho de peso.

Como corrigir este pequeno-almoço para que se assemelhe à dieta da Zona?

Ainda continuando com o mesmo exemplo, em vez de 100 g, tome 30 g de cereais que contêm unicamente 3 blocos de hidratos de carbono, acrescente um pouco de leite magro. Agora só falta os 3 blocos de proteínas que pode conseguir ao ingerir 60 g de queijo. E, para ficar completo só falta os 3 blocos de gordura, que pode ser obtido se comer 3 nozes. E, desta maneira tem um pequeno almoço com 3 blocos de cada grupo alimentar.

Sempre que queira converter em blocos os teores de proteínas e hidratos de carbono dos rótulos dos alimentos apenas deve realizar uma simples conta de dividir. Não é assim tão difícil ?

Artigos Relacionados

Faça o seu comentário