Dieta para combater a diabetes

A diabetes tipo 2 é uma doença crónica provocada pelo açúcar elevado no sangue (hiperglicémia), que pode resultar em complicações sérias para a saúde, como os ataques cardíacos, a cegueira, amputação de uma perna, insuficiência renal. Dieta para combater a diabetesO 90 % dos diabéticos padecem de diabetes tipo 2, enquanto que o 10 % padece a diabetes tipo 1, que atinge maioritariamente os mais jovens e é devido a uma deficiência imunológica, onde o pâncreas deixa de produzir insulina e, as pessoas afetadas devem recorrer às injeções de insulina.

A mais comum, a diabetes tipo 2 sucede quando a pessoa leva já alguns anos sofrendo de resistência à insulina, o que fez com que o pâncreas deixasse de produzir suficiente insulina. Quando isto acontece os níveis de açúcar no sangue estão sempre altos.

Como se desenvolve a diabetes

Os hidratos de carbono ricos em amidos e açúcares quando ingeridos são transformados em glicose (açúcar) para poderem entrar na circulação sanguínea e fornecerem energia às células. A insulina produzida pelo pâncreas conduz a glicose às células, para que o organismo disponha de energia. No entanto, quando há resistência à insulina, significa que as células não permitem a entrada da glicose, o que vai fazer com que os níveis de açúcar no sangue estejam sempre altos.

Sendo assim, o pâncreas volta a produzir mais insulina na tentativa de que o açúcar penetre nas células. Esta situação com o tempo faz nascer outro problema, o pâncreas “esgota” a sua capacidade, de tanto trabalhar e irá fabricar cada vez menos insulina. Sem insulina o açúcar no sangue está sempre elevado, condição que põe a saúde em perigo, aumentado o risco de sofrer uma doença do coração. As pessoas obesas ou com excesso de gordura, em especial na região abdominal, apresentam maior resistência à insulina, o que pode ao cabo de uns anos, desencadear na diabetes tipo 2.

Como prevenir controlar e combater a diabetes tipo 2

Para prevenir esta doença e até mesmo reverté-la, é muito importante seguir hábitos de vida corretos, entre os quais a alimentação assume muita importância. A dieta da Zona apresenta-se como uma dieta ideal para combater e prevenir a diabetes tipo 2. Isto porque, foi desenhada especificamente para reduzir a produção de insulina, garantindo não só a perda de gordura corporal, mas também um menor risco de desenvolver a diabetes e outras doenças relacionadas com a insulina.

Segundo o Dr. Sears, “tanto a obesidade como a diabetes estão causadas pela inflamação gerada pelos maus hábitos alimentares que afetam sobretudo às pessoas predispostas geneticamente”. Desta forma pode-se reverter através da dieta o fator genético responsável do desenvolvimento da obesidade e da diabetes.

A ultima investigação realizada na Universidade de Minnesota confirmou que uma dieta de reduzida carga glicémica como a dieta da Zona, é mais adequada para os diabéticos do que as recomendações dietéticas da ADA (Associação Americana de Diabetes). Neste estudo os investigadores fizeram com que durante 5 semanas um grupo de pacientes diabéticos seguissem a dieta da Zona, e outro grupo a dieta da ADA, que é um regime com baixo teor de gordura mas alto em carboidratos. Depois trocava-se as dietas entre ambos grupos durante outras 5 semanas. Quando os pacientes seguiam a dieta da Zona, observou-se significativas reduções dos níveis de glicose e da hemoglobina glicosilada, em comparação com o tempo que estiveram com a dieta da ADA.

A descida destes indicadores no sangue é a garantia segura de que a resistência à insulina diminui com a dieta da Zona, tornando-a a dieta ideal para os diabéticos.

Esta dieta assegura um controlo constante dos níveis de açúcar e insulina no sangue, não só para quem quer emagrecer mas também para os diabéticos. Sendo assim a seguinte lista é uma ajuda para saber escolher bem os alimentos e assim controlar os níveis de açúcar no sangue e evitar a subida da insulina.

Como deve ser a dieta para combater a diabetes

Alimentos proibidos

  • Açúcar de mesa, mel
  • Doces (chocolate, cereais refinados)
  • Pastelaria industrial e caseira (bolos, tortas, biscoitos, donuts, bolachas, croissants…)
  • Gorduras (manteiga, banha, nata, óleos vegetais, patés, margarinas)
  • Bebidas alcoólicas, refrigerantes, sumos açucarados

 Alimentos desfavoráveis (comer muito pouco)

  • Hidratos de carbono (pão, massas, arroz, cereais, farinhas, bolachas, batatas)
  • Certas frutas (banana, figos)
  • Leguminosas (feijão, grão de bico)

Alimentos permitidos

  • Legumes e Hortaliças
  • Carnes magras, peixe, mariscos, claras de ovo, fiambres de peru ou frango, lácteos desnatados (queijo, iogurtes naturais, leite)
  • Fruta fresca (excepto algumas muito doces como a banana, figos)
  • Azeite de oliva
  • Frutos secos (nozes, nozes de macadâmia, avelãs, amêndoas…)

Em termos práticos um prato estaria composto por estes alimentos: a quantidade de proteína deve equivaler ao tamanho da “palma da mão”; os hidratos de carbono devem estar representados por hortaliças e frutas coloridas, enquanto as gorduras devem ser as poli-insaturadas, como as que se encontram no azeite. Por outra parte, tomar óleo de pescado (muito rico em ácidos gordos Ómega 3), aumentaria o efeito anti-inflamatório de dieta da Zona. Deve-se realizar pelo menos 5 refeições diárias e não deixar passar mais de 4 horas a 5 horas entre as refeições, para evitar a descida dos níveis de açúcar. Não esquecer de beber dois litros de água por dia.

Além da dieta, é essencial realizar um programa de exercício físico como caminhar, andar de bicicleta, nadar, vários dia na semana durante 30 a 45 minutos, que vão também ajudar a reduzir os níveis de insulina e a prevenir a diabetes.

Artigos Relacionados

Faça o seu comentário