Ácidos gordos ómega-3

Benefícios dos ácidos gordos ómega 3Os ácidos gordos ómega-3 não são novidade, há algumas décadas era hábito dar às crianças óleo de figado de bacalhau (rico em ómega-3). Muitas dessas crianças, hoje adultos, ainda se lembram do seu desagradável sabor. Descobertos há mais de 70 anos, os ácidos gordos ómega-3 sempre despertaram interesse, sendo por isso alvo de muitos estudos científicos, que vão demonstrado a sua ação benéfica para o bom funcionamento do corpo humano.

Os ácidos gordos ómega-3 são designados essenciais porque o nosso corpo não os pode sintetizar, devendo ser ingeridos através da alimentação. Os principais ácidos gordos ómega-3 são: ácido gordo eicosapentanóico (EPA) e ácido gordo docosahexanóico (DHA).

Alimentos que contêm ácidos gordos ómega-3

Os ácidos gordos  ómega-3 de cadeia longa encontram-se sobretudo nos peixes de águas frias: o atum, o salmão, a cavala, as anchovas, a sardinha, o arenque, etc. e em menor quantidade em alguns óleos vegetais, linho, soja, sementes de linho, nozes etc.

Cada dia aparecem novos estudos que reafirmam a importância de complementar a alimentação com ácidos gordos ómega-3 de cadeia longa, pelos numerosos benefícios que proporcionam à nossa saúde. Entre eles:

  • Favorecem a produção de eicosanóides “bons”, hormonas que intervêm em todos os processos fisiológicos do corpo, altamente importantes para a saúde do nosso organismo.
  • Capacidade para penetrar na estrutura das membranas de todas as células do nosso organismo, isto significa, que chegam até aos capilares mais pequenos com o fim de levar nutrientes e oxigénio aos tecidos.
  • Regulam os níveis de colesterol e triglicéridos.
  • Reduzem o risco de padecer doenças cardiovasculares, evitando a formação de trombos ou coágulos sanguíneos.
  • Diminuem a inflamação, um processo comum a muitas doenças como a artrite reumatoide, psoríase, asma, alergias etc.
  • Fortalecem o sistema imunitário.
  • Ajudam a combater estados depressivos.
  • Ajudam a melhorar a concentração, o humor e a capacidade intelectual.

Para obter todos estes benefícios torna-se necessário aumentar a ingestão de peixe rico em ómega-3 de cadeia longa várias vezes por semana de forma constante e regular, porém, isto nem sempre é possível, devendo-se recorrer a um suplemento de óleo de peixe de qualidade.

Quanto óleo de peixe devemos tomar?

É aconselhável consumir regularmente um suplemento de ómega-3, sendo a dose recomendada pelo Dr. Barry Sears de 2,5 gramas ao dia (equivalente a uma colher de sopa). No entanto, se tomássemos  habitualmente óleo de peixe não refinado, na quantidade anteriormente referida, com o tempo, os metais pesados e pesticidas resultariam nocivos para o nosso organismo. Por isso recomenda-se consumir óleo de peixe, exclusivamente concentrado e destilado, isto é, livre de impurezas.

Todo o óleo de peixe livre de contaminantes, significa que foi submetido a um processo tecnológico designado destilação molecular, mediante o qual eliminam-se todas as substâncias tóxicas e impurezas (PCB e DDT e mercúrio orgânico). Outra característica do óleo de peixe de qualidade é sua alta concentração em EPA e DHA, os  ácidos gordos mais importantes para o organismo humano, responsáveis de todos os benefícios antes referidos.

Entre os óleos de peixe de alta qualidade presentes no mercado, EnerZona Omega-3Rx é um óleo que cumpre todos estes requisitos. Combina pureza e concentração dos principais ácidos gordos ómega-3 (EPA e DHA) de cadeia longa de um forma muito mais elevada que qualquer outro. Disponível tanto em forma liquida com sabor a limão e menta, minimizando assim qualquer sabor desagradável bem como em cápsulas.

Os ómega-3 durante a gravidez e a lactação

Os ácidos gordos ómega-3 de cadeia longa são importantes para o desenvolvimento do cérebro do bebé. A necessidade de DHA por parte do feto é  maior no último trimestre da gravidez  quando as células do cérebro estão em continua formação (mais de 250.000 neuronas por minuto).

Incluir um suplemento de ómega-3 na dieta da futura mãe vai contribuir para melhorar a capacidade de aprendizagem do bebé. Sendo assim, a gravidez é o melhor momento para tomar óleo de peixe, como complemento da dieta. Recomenda-se um óleo de peixe concentrado e destilado livre de impurezas. No período de amamentação, a mãe deve continuar a tomar ómega-3 para poder manter os níveis de DHA adequados no seu leite, imprescindíveis para o rápido crescimento do cérebro do bebé.

Proporção entre os ácidos gordos ómega-3 e ómega-6

Para um correto funcionamento do organismo deve existir um equilíbrio adequado entre os ómega-3 e ómega-6. Os ómega-3 são os precursores dos eicasanóides “bons” e os ómega-6 são os precursores dos eicasanóides “maus”. O equilíbrio entre ambos eicasanaóides é o que vai determinar o nosso estado de saúde.

Atualmente, a alimentação ocidental é excessivamente abundante em ácidos gordos ómega-6. Estes encontram-se sobretudo nos óleos vegetais: girassol, milho, amendoim, soja e nas gorduras da carne, enquanto que o consumo de ómega-3 é muito mais reduzido.

Nos últimos anos é um facto constatado o descenso no consumo dos ómega-3 e uma crescente subida no consumo dos ómega-6. Crê-se que esta excessiva ingestão dos ómega-6 em relação aos ómega-3,  que se estima que seja de  9:1 quando em realidade deveria ser 4:1, possa ser a causa do aparecimento de muitas doenças de caráter inflamatório e auto-imunes, dado que, uma excessiva ingestão dos ómega-6 contribuem para a produção dos eicasanaóides “maus”, em detrimento dos ómega-3, percursores dos eicasanóides “bons”.

É fundamental que haja um equilíbrio entre ambos eicasanaóides ” bons” e “maus” para que o nosso corpo goze de boa saúde. A solução consiste em reduzir a ingestão dos ómega-6 e aumentar a ingestão dos alimentos que contenham ómega-3 (peixe, principal fonte) ou tomar um suplemento de óleo de peixe de qualidade farmacológica, com uma elevada concentração de  EPA e DHA.

One Response to “Ácidos gordos ómega-3”

  1. Divaldo diz:

    Prezados,
    Gostaria de obter informações a respeito de estabelecimentos (sites de internet) que comercializem capsulas de ômega 3 produzidas pelo Dr. Barry Sears.
    Atenciosamente,
    Divaldo F. Beckman.

Faça o seu comentário