Azeite virgem extra

o poder do azeiteO azeite virgem extra é o autêntico sumo natural da azeitona (fruto da Oliveira). Sendo assim conserva, além do característico sabor todas as propriedades benéficas para a saúde. Ao contrário dos óleos vegetais comuns, cuja extração é feita com solventes, processo químico pelo qual é extraído o óleo das sementes, o azeite virgem extra é a única gordura que é obtida diretamente do fruto.

A dieta Mediterrânea tradicional é bem conhecida por ser um padrão alimentar saudável, entre as várias razões apontadas, o azeite é a sua principal fonte de gordura. Antes da invasão dos óleos vegetais (óleos de sementes, de girassol, de amendoim…), o azeite representava cerca de 90% da gordura alimentar da dieta dos povos do Mediterrâneo. Muitos estudos sobre a dieta mediterrânica, revelaram que o uso do azeite estava associado a um menor risco de doenças cardíacas e o aumento da longevidade. Por isso os países da orla mediterrânica, grandes consumidores de azeite, registavam menores índices de doença cardiovascular.

O Azeite á a gordura mais saudável

O azeite contém grande quantidade de ácido oleico, um ácido gordo monoinsaturado, que tem um papel importante na prevenção das doenças cardiovasculares, pois faz diminuir os níveis sanguíneos de colesterol-LDL, o colesterol mau e aumenta os níveis de colesterol-HDL, o chamado colesterol bom. Também é rico em antioxidantes, vitamina E e compostos polifenólicos, que ajudam a proteger as células da ação agressiva dos radicais livres.

Contudo, o ácido oleico não é o único componente responsável pelas propriedades saudáveis do azeite; são muitos os estudos que evidenciam os benefícios dos polifenóis, nomeadamente – o tirosol e o hidroxitirosol. São nestes compostos fenólicos, mais concretamente no hidroxitirosol que reside todo o poder do azeite, já que a sua capacidade antioxidante é muito superior à vitamina E; o hidroxitirosol parece ser um inibidor das enzimas que geram os eicosanóides pro-inflamatórios (maus), substâncias que causam a inflamação silenciosa, e que estão na origem de muitas doenças crónicas. Isto explica o paradoxo de Creta: este povo obtém 40% das calorias da sua dieta da gordura, nomeadamente do azeite, no entanto possui o índice mais baixo de doenças cardiovasculares da região mediterrânea.

Aos polifenóis do azeite se atribuem propriedades antiinflamatórias, antioxidantes e anticoagulantes. Nesse sentido ajudam a reduzir e a neutralizar a oxidação gerada pelos radicais livres e reparam as agressões que o fumo do cigarro, a contaminação ambiental, o álcool, os raios ultravioleta, os próprios processos metabólicos do organismo, ocasionam às membranas celulares.

Azeite virgem extra na prevenção de muitas doenças

  • Previne o aparecimento das doenças cardiovasculares, diminuindo os níveis de colesterol LDL (mau colesterol); os níveis de colesterol HDL (bom colesterol) aumentam e os níveis de triglicéridos diminuem.
  • Melhora o funcionamento do aparelho digestivo; reduz a acidez gástrica, tendo portanto, uma ação protetora contra úlceras e gastrites; é a gordura melhor tolerada pelo estômago.
  • Previne a obstipação (prisão de ventre) quando é tomado em cru e em jejum.
  • Exerce um efeito protetor e tónico sobre a epiderme.
  • Melhora as funções metabólicas e cerebrais, devido a que os ácidos gordos favorecem a formação de membranas celulares, e a formação de tecido cerebral.
  • Reduz a deterioração dos tecidos graças ao seu alto teor em antioxidantes (compostos fenólicos e vitamina E), diminuindo o envelhecimento prematuro.
  • Favorece a absorção de cálcio estimulando, assim, o crescimento ósseo.
  • Melhora a esperança e qualidade de vida em geral.

É uma boa notícia saber que algo tão saboroso como o azeite, tão típico da nossa cozinha, possua tantas virtudes para gozar de boa saúde. Infelizmente nem todos os azeites possuem uma grande concentração de hidroxitirosol (potente antioxidante superior à vitamina E). É o caso do azeite refinado, que ao ser submetido a um processamento de refinação perdeu grande parte dos compostos benéficos, contendo apenas quantidades quase insignificantes de hidroxitirosol.

O melhor azeite e que mais compostos fenólicos apresenta é o azeite extra virgem. Razão pela qual possui um sabor forte e picante. As azeitonas são uma fruta como as uvas, cada tipo de uva produz um tipo de vinho. Cada tipo de azeitona contém uma quantidade distinta de hidroxitirosol. Quanto mais hidroxitirosol contenha, mais saudável, e portanto, mais benefícios apresenta para a saúde.

Como reconhecer um bom azeite?

Podemos fazer a prova e comprovar se o azeite é rico em hidroxitirosol: tomar uma colher de chá de azeite e deixar na boca. Agora estenda com a língua o azeite por todo o paladar até chegar quase à garganta, onde deverá notar um sabor picante. Se não notar é porque contém pouquíssimo hidrixotirisol, o que significa que é um azeite sem benefícios para a saúde.

Para beneficiar-se de todas as propriedades preventivas e terapêuticas do azeite, escolha sempre um azeite virgem extra de qualidade e consuma-o em cru, já que este ao aquecer pode perde propriedades benéficas; pode usá-lo no tempero das saladas, nas hortaliças depois de cozidas, pode substituir a manteiga que contém gordura saturada ou as margarinas que contêm gorduras trans, pelo azeite na fatia de pão do pequeno almoço.

Por todas estas razões o azeite é a gordura mais recomendada na dieta da Zona. Outro beneficio adicional, além dos já mencionados, o azeite reduz a velocidade de digestão dos hidratos de carbono e, consequentemente, baixa o índice glicémico da refeição, impedindo o aumento da insulina, hormona que impede emagrecer.

Contudo, apesar de todos os benefícios do azeite virgem extra, devemos recordar que se trata de uma gordura e como tal, deve ser consumido com moderação. Na dieta da Zona a recomendação é uma colher de sopa em cada uma das refeições principais (pequeno-almoço, almoço, jantar); quando consumido em excesso, contribui para o aumento do peso.

Artigos Relacionados

Faça o seu comentário