Qual é o melhor? Ómega 3 de origem vegetal ou ómega 3 de origem marinho

Qual é o melhor? Ómega 3 de origem vegetal ou ómega 3 de origem marinhoMuitas vezes o ómega 3 de origem vegetal e o ómega 3 de origem marinho, em termos de saúde, são vistos da mesma maneira e não é bem assim.

Os ácidos gordos ómega 3 que se encontram nos vegetais não têm tantos benefícios para a saúde como os ácidos gordos ómega 3 que se encontram no peixe gordo ou no óleo de peixe. Mesmo ingerindo uma grande quantidade de ómega 3 das fontes vegetais não seria suficiente para obter todos os benefícios dos ácidos gordos ómega 3 das fontes marinhas.

Ácidos gordos ómega -3 de cadeia longa versus ácidos gordos ómega 3 de cadeia curta

Tipos de ácidos gordos Ómega 3

É importante saber distinguir os três tipos de ácidos gordos ómega 3. O corpo não pode produzir os ácidos gordos essenciais ómega 3, sendo que é necessário obtê-los da alimentação ou através de um suplemento. O EPA e DHA são os ácidos gordos ómega 3 de cadeia longa e encontram-se principalmente no peixe gordo como o salmão (só o selvagem, não o criado em viveiro), a cavala, o atum, a sardinha, o carapau etc. Estes dois ácidos são os responsáveis de todos os benéficos dos ómega 3 para a saúde.

O ácido ácido alfa-linoleico (ALA) é o ácido gordo omega 3 de cadeia curta que se encontra nas fontes vegetais, nomeadamente nos óleos de linhaça, de colza, de cânhamo, de camelina, nas sementes do linho (linhaça), sementes de chia, nas nozes, em algumas plantas de folha verde…

Os ácidos gordos ómega 3 de origem vegetal como o ALA pode converter-se em EPA e DHA no organismo, mas através de um processo lento e praticamente ineficaz. Se toma suplementos de óleo de linhaça ou come alimentos, como nozes ou sementes de linho como única fonte de ómega 3, é certo que lhe vai proporcionar ALA, mas poderia ter deficiências de EPA e DHA, os ácidos gordos mais importantes para a saúde. A última investigação demostrou que menos de 1 por cento do ALA é convertido no organismo em EPA, e que, muito raramente, se converte em DHA. Por isso muitos investigadores creem que só os ómega 3 de cadeia longa que se encontra no peixe gordo podem proporcionar ao corpo todos os benefícios amplamente conhecidos dos oméga 3.

Manter o equilíbrio entre os ácidos gordos Ómega-6 e os Ómega-3

É bem conhecido e cientificamente comprovado os benefícios dos ómega 3 para a saúde. O EPA e DHA, que só se encontra nas fontes marinhas, são agentes anti-inflamatórios naturais , e, como tal, têm um papel importante na saúde do cérebro, prevenindo as doenças degenerativas como o Alzheimer, na saúde do coração protegendo das doenças cardiovasculares, na proteção contra o cancro, a depressão, a melhoria do estado da pele como psoríase e a acne, o desenvolvimento do cérebro do feto, doenças inflamatórias do intestino, e artrite…

O corpo humano não pode produzir naturalmente os ácidos gordos essenciais ómega 3 e ómega 6, sendo que é necessário obtê-los da alimentação ou através de um suplemento. Contudo a alimentação ocidental é excessivamente abundante em ácidos gordos poli-insaturado pró- inflamatórios, os chamados ómega-6. Ácidos estes que quando existem em excesso no organismo, causam inflamação devido ao excesso de eicosanoides maus.

Os ómega 6 encontram-se maioritariamente nos óleos de sementes como o de girassol, milho, soja e numa grande variedade de produtos industriais , bolachas, pão de forma, bolos, doces… Nos últimos anos a Industria Alimentar está a substituir as gorduras trans pelos óleos vegetais, como alternativa mais saudável, mas é contraproducente, já que, está a promover o aumento dos ómega 6 na alimentação.

Quando a nossa ingestão de ómega-6 excede em muito a nossa ingestão de ómega -3, o nosso corpo está exposto ao aumento da inflamação, processo que está na origem das doenças crónicas.

Corrigir este desequilíbrio é o propósito da dieta da Zona. Sendo assim diminuir a ingestão de ómega-6, e aumentar a ingestão de ómega- 3 é um passo fundamental para uma vida mais saudável. Este equilíbrio entre estas duas gorduras – ómega 6 e ómega 3 – depende unicamente da nossa alimentação.

A dieta da Zona recomenda o azeite como gordura principal tanto para cozinhar, bem como para temperar em substituição dos óleos vegetais comuns. Outra recomendação do Dr. Barry Sears é tomar óleo de peixe quer seja liquido ou em cápsulas, mas certifique-se que seja um óleo de qualidade farmacológica, sem toxinas, metais pesados e outros poluentes. Veja aqui como identificar um óleo de peixe de qualidade.

Ómega 3 de origem vegetal ou ómega 3 de origem marinho?

Em conclusão, é melhor consumir ómega 3 de origem marinho do que ómega 3 de origem vegetal, porque os primeiros são uma fonte natural de DHA e EPA, os dois ácidos gordos benéficos para saúde

Artigos Relacionados

Faça o seu comentário